jul 09

ANTES, DURANTE E DEPOIS DO CINEMA NOVO
Autor: Diegues, Cacá
Editora: Objetiva
Páginas: 696
1a Edição: 2014
Assunto: Biografias – Cinema

Sinopse:
Cacá Diegues se viu paralisado e sem ar. Tinha de 5 para 6 anos e havia entrado pela primeira vez no cinema, em sua Maceió natal. Descobriu ali um mundo em tudo diferente do seu, povoado de gente ‘bonita e elegante’. Esse encontro entre o menino e a tela provocou um encantamento que dura até hoje e que fez surgir um cineasta em permanente mutação, que vive intensamente sua época. Ao longo de sua rica trajetória o diretor de “Chuvas de Verão”, “Bye Bye Brasil” e “Deus é Brasileiro” mostra-se um cineasta que não se deixa aprisionar pela censura, por modismos, ideologias, convenções. A obra do integrante do grupo que criou o Cinema Novo, marco fundador de uma nova maneira de filmar e pensar o Brasil, dialoga com seu tempo – ora explicando-o, ora confrontando-o -, numa busca pela síntese entre reflexão e espetáculo, informação e comunicação, pensamento e beleza. Em suas memórias, escritas ao longo de sete anos, o autor, com honestidade radical e impressionante lucidez, revisita os tempos de militância estudantil, revela os bastidores da produção de seus filmes e relembra algumas das polêmicas em que se envolveu. Da infância em Alagoas, passando pelos altos e baixos dos casamentos com Nara Leão e Renata de Almeida Magalhães, ao triunfo no Festival de Cannes, ‘Vida de Cinema’ narra mais do que a história da vida e obra de um dos principais cineastas brasileiros. É um relato dos últimos cinquenta anos do país pela voz do Cacá, panorama de uma época marcada pela modernização na década de 1950, a efervescência cultural de 1960, os anos de chumbo, a luta contra o autoritarismo e a redemocratização.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , ,

jun 11

Autor: Ortegosa, Marcia
Editora: Annablume
Páginas: 140
1a Edição: 2010
Assunto: Cinema

Sinopse:
‘The Lady From Shangai’ (1948), ‘Blade Runner’ (1982) e ‘The Public Eye’ (1992) são os três filmes do núcleo deste livro. Juntando os fragmentos, os indícios na busca da revelação do que se esconde, apresentam semelhantes processamentos de linguagem. Nessa cadeia de significações, chega-se ao outro, o espelho sígnico, resgatando as conotações e ambiguidades que a estética de sombras e luzes do noir propícia. Espelho e fotografia (dois modos de parar o tempo) são metáforas da reflexão crítica da ‘pensatividade’. A fotografia, com o congelamento de imagens, rompe a velocidade do tempo. O espelho cria duplicatas, fragmentações. Através desses dois elementos estéticos, esse livro discute questões ligadas ao tempo, ao espaço e a representação. Numa abordagem metalinguística e intertextual, este trabalho procura dialogar com as artes pictóricas, a literatura, a fotografia, o cinema e o universo fílmico, pensando as imagens num processo relacional, em constante atualização e espelhamento.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , ,

mai 21

Autor: Aumont, Jacques
Autor: Marie, Michel
Editora: Papirus
Páginas: 336
1a Edição: 2003
Assunto: Cinema

Sinopse:
Nos últimos 30 anos, o cinema tornou-se tema de pesquisas e estudos. Um vocabulário particular foi se impondo progressivamente, constituído ao mesmo tempo por termos não-específicos utilizados em sentido inédito e por conceitos novos adequados à análise da linguagem cinematográfica. Esse dicionário reúne cerca de 400 verbetes sobre as noções fundamentais da estética, da semiologia ou ainda da história da arte, a fim de permitir uma abordagem teórica e crítica do cinema. Também fornece alguns dados essenciais sobre grandes teóricos e críticos e sobre cineastas como Eisenstein, Hitchcock, ou ainda Pasolini e Godard, aqueles que, além de sua obra, contribuíram amplamente para o desenvolvimento e o enriquecimento da reflexão sobre a sétima arte. Cada entrada oferece uma definição clara e precisa, ilustrada com exemplos e seguida de termos correlatos e de indicações bibliográficas. Um índice temático e outro onomástico completam o perfil dessa obra de referência como útil instrumento de consulta.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , , ,

abr 09

Autor: Ferraro Júnior, Denerval
Editora: Globo Livros 
Páginas: 224
1a Edição: 2008
Assunto: Cinema

Sinopse:
Quais os robôs mais bacanas da história do cinema? Com uma pergunta como essa, claro, a polêmica está aberta. Seria a dupla formada por R2-D2 e C-3PO de Guerra nas Estrelas, ou para aqueles que preferem os grandes clássicos – a “robô mulher” politizada de Metrópolis? Se está difícil, vamos em frente: quais os melhores filmes feitos com a participação de cães? E quanto aos vilões, quais foram os mais marcantes? Essas questões, que muitas vezes animam longas conversas em rodas de amigos curtidores de cinema, fazem do livro “10+ do Cinema” (Ed. Globo) uma leitura curiosa e divertida. Escrito pelo jornalista Denerval Ferraro Jr, a classificação dos verbetes foi realizada de maneira inusitada, como: comida, cristãos, doenças, espiões, realeza e muitos outros. São 50 listas, cada uma delas trazendo em ordem de importância os dez melhores da categoria. Há ainda uma lista final com as frases mais célebres do cinema. A ideia do livro surgiu a partir de uma coluna da revista Monet, onde esse tipo de classificação foi desenvolvida. Certamente a prática de fazer listas com os “melhores da história” não é nenhuma novidade. Mas o que faz a diferença em 10+ do Cinema é o olhar do autor, que criou categorias originais. O livro é um convite a pensar sobre o cinema de ângulos novos, e redescobrir filmes que por vezes já estavam acomodados e sem brilho em seus lugares tradicionais. Como o próprio autor reconhece na apresentação, fazer listas com os melhores  e – ainda por cima – em ordem de importância, é uma temeridade. Sempre haverá margem para a discordância, para a polêmica. Mas é exatamente aí que está a graça desse tipo de classificação, que sempre vai depender da empatia de cada leitor.

Fonte: Livraria da Folha

 

Escrito por marcia
Tags: , ,

abr 02

DICAS E TÉCNICAS PARA LEVAR MAGIA A TODOS OS SEUS TEXTOS
Autor: Surrell, Jason
Tradutor: Sidou, Beatriz
Editora: Panda Books
Páginas: 228
1a Edição: 2009
Assunto: Cinema

Sinopse:
Qual é o segredo por trás da magia de clássicos como “Branca de Neve”, “A Pequena Sereia” e “Rei Leão”? Chegou a hora de descobrir. Os artistas e roteiristas responsáveis pelos consagrados filmes da Disney revelam, pela primeira vez, no livro “Os Segredos dos Roteiros da Disney” quais são as técnicas do estúdio para criar obras que divertem, inspiram e encantam. E mostram como colocá-las em prática para criar obras originais. O livro apresenta e explica técnicas para escrever uma trama atraente, alinhavar a história, construir personagens, recriar textos clássicos e tudo o mais que envolve a criação de um texto. O processo de criação é detalhado passo a passo em três “atos”: o nascimento e a evolução das ideias; o ato de escrever; e o ato de reescrever. Voltado para roteiristas iniciantes, aspirantes a cineastas e demais interessados na magia dos filmes Disney, o livro traz ainda citações inspiradoras de Walt Disney e histórias pessoais da criativa comunidade do estúdio.

Fonte: Livraria da Folha

 

Escrito por marcia
Tags: , , ,

jan 29

Autor: Vanoye, Francis
Editora: Papirus
Páginas: 152
1a edição: 1994
Assunto: Cinema

Sinopse:
Este livro oferece elementos de reflexão geral (história das formas cinematográficas, instrumento da narratologia, problemas de interpretação) e algumas análises na prática, de um único plano ao filme todo, de sequências a propagandas. Analisar um filme é prática comum a qualquer espectador.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , ,

jan 22

Autor: Ramos, Luciano
Editora: Contexto
Páginas: 336
1a Edição: 2009
Assunto: Cinema

Sinopse:
Entre 2005 e 2008 foram lançados mais de dois mil filmes no mercado brasileiro. Aqui o leitor encontrará uma seleção de 290 destes filmes, disponíveis em locadoras, divididos nas categorias: aventura, brasileiros, comédia, documentário, drama, fantasia, história e infantil. Cada filme recebe uma ficha técnica, uma análise e uma foto. Para fazer uma seleção, o autor estabeleceu cinco critérios – argumento, roteiro, elenco, produção e direção. Dos blockbusters de bilheteria aos novos diretores, daqueles que ficaram meses em cartaz àqueles que passaram quase desapercebidos, este livro é um guia para aqueles que apreciam o cinema.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , ,

dez 10

Autor: Gerbase, Carlos
Editora: Artes e Ofícios
1a Edição: 2000
Assunto: Literatura Brasileira

Sinopse:
Em uma linguagem direta e coloquial, este livro abarca o cotidiano de forma inusitada, com bastante humor e uma certa inflexão pop. Grande parte dos textos tem relação direta com o mundo do cinema e das imagens.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , ,

nov 20

Autor: Cousins, Mark
Tradutor: Bartalotti, Cecilia Camargo
Editora: Martins Editora
Páginas: 512
1a Edição: 2013
Assunto: Cinema

Sinopse:
Do cinema mudo, passando pela engenhosidade do cinema sonoro, até as incríveis inovações da era digital, Mark Cousins apresenta um panorama completo e acessível da história do cinema mundial. Nelas são desveladas as técnicas, aspirações e invenções de cada época, em diferentes países e por diversos cineastas que sonharam, imaginaram e trabalharam para que sua mensagem e sua estética fossem transmitidas a um público cada vez mais admirado pela sétima arte e pela rica história que ela comporta.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , , ,

out 23

Autor: Nacache, Jacqueline
Editora: Texto & Grafia
Páginas: 192
1a Edição: 2012

Sinopse:
Seja vedeta ou desempenhe um papel secundário no filme, mostre-se contido ou expansivo, distante ou próximo ao espectador, é através do ator que a obra cinematográfica comunica e, por vezes, fascina e emociona, ; no centro da ação ficcional, é ele que contribui decisivamente para a qualidade do conjunto cinematográfico. Tudo gira em torno da relação entre o ator e a personagem que encarna; e, por isso, todos os grandes momentos da criação cinematográfica envolvem uma reflexão sobre o ator e o seu papel. Desde as suas origens que o cinema não cessa de criar novos modos e métodos de representaão: das teorias soviéticas ao Actors Studio, do <<natural americano>> à <<verdade>> do não-profissional, o ator é a presença mais evidente na história do cinema.

Fonte: Livraria Cultura

 

Escrito por marcia
Tags: , ,